DENTISTA: ENTENDA O QUE É PERMITIDO OU NÃO NO MARKETING ODONTOLÓGICO

Dentista: entenda o que é permitido ou não no marketing odontológico

Tempo de leitura: 7 minutos

No cenário conectado em que vivemos, é importante que os profissionais da saúde estejam cientes do que podem ou não fazer quando o assunto é divulgação da sua prática. O marketing odontológico precisa estar em consonância com as regras do conselho de odontologia e com parâmetros de ética da profissão.

Assim como todos os outros profissionais, os dentistas não podem mais se dar ao luxo de conquistar novos pacientes apenas pela indicação de outros pacientes. A longo prazo, essa prática não se sustenta. Por isso, é importante investir em marketing.

 

Todos os dias, milhares de pessoas pesquisam sobre soluções de saúde e estética na internet, um campo fértil para que você, dentista, seja encontrado pelo seu paciente ideal. Ele está buscando algo para o qual você pode oferecer a solução.

 

Assim, para ajudar você a ter mais agendamentos de consulta, a Inédita resolveu descomplicar as regras mais importantes do marketing odontológico. Neste artigo, você vai encontrar as principais diretrizes do Conselho Federal de Odontologia para a divulgação da prática do dentista.

 


 

O que é permitido e restringido pelo Código de Ética?

A entidade que regula as práticas dos dentistas no Brasil é o Conselho Federal de Odontologia. No Código de Ética do CFO consta um capítulo dedicado a discutir as práticas de anúncio, publicidade e propaganda da especialidade odontológica.

 

De maneira geral, estas são as principais diretrizes do Código de Ética:

 

      • Os profissionais da saúde bucal podem fazer anúncios de sua especialidade em qualquer meio de comunicação, desde que siga todas as diretrizes do código de ética.
      • Profissionais da saúde bucal podem anunciar sua profissão desde que sempre acompanhados do nome do profissional e número de inscrição no Conselho Regional de Odontologia de seu estado. Técnicos e auxiliares, entretanto, não podem divulgar sua especialidade.
      • Em peças de divulgação, é obrigatório constar o nome e o número de inscrição da pessoa física ou jurídica, bem como o nome representativo da profissão de cirurgião-dentista.

 

O Código de Ética do CFO restringe as seguintes práticas para todas as entidades que promovem a odontologia, sejam físicas ou jurídicas (clínicas, operadoras de planos de assistência, convênios e credenciamentos e quaisquer outras entidades):

 

      • A propaganda enganosa, abusiva e outras formas que impliquem comercialização da odontologia;
      • Anunciar ou divulgar titulações que não estejam registradas no Conselho Federal ou que não sejam por ele reconhecidas;
      • Divulgar técnicas que não estejam devidamente comprovadas cientificamente;
      • Utilizar instalações ou equipamentos que não tenham um registro válido nos órgãos competentes;
      • Criticar como sendo ultrapassadas ou inadequadas as práticas de outros profissionais dentistas;
      • Dar consultas, diagnósticos ou prescrição de tratamento por meio dos veículos de comunicação, quaisquer que sejam;
      • Ter participação em assuntos odontológicos que não sejam apenas para educação e esclarecimento;
      • Divulgar e expor qualquer paciente que não tenha dado sua autorização para uso de imagem;
      • Ofertar serviços falsos e irregulares para os pacientes;
      • Oferecer serviços gratuitos com intenção de autopromoção ou promover campanhas oferecendo troca de favores;
      • Anunciar seus serviços profissionais como prêmio em concursos de qualquer natureza ou como bônus pela aquisição de outro bem;
      • Expor o público leigo à propaganda com intuito de angariar clientela;
      • Participar de programas nos meios de comunicação e oferecer seus serviços nesses veículos;
      • Utilizar qualquer canal de mídia de maneira que desvalorize a profissão e promova concorrência desleal.

 

Respeitando todas essas restrições e diretrizes, temos certeza de que a divulgação da sua profissão ocorrerá sem nenhum problema. 

 

Resolução sobre a divulgação de “antes e depois”

Até abril de 2019, o Conselho Federal de Odontologia proibia a prática do “antes e depois” como demonstração de sucesso de uma especialidade. Porém, o CFO atualizou essa resolução esse ano e trouxe outras diretrizes importantes para o marketing odontológico.

De acordo com o ato normativo, “está autorizada a divulgação de imagens de pacientes e imagens referenciando o diagnóstico e conclusão (antes e depois) dos tratamentos dentários desde que obedecidas as limitações contidas na mesma”.

A norma também trouxe novidades para a divulgação em redes sociais e sites. A partir da publicação deste ato normativo, está permitida a divulgação de:

 

  • fotos e selfies de pacientes;
  • imagens de tratamentos realizados pelo dentista responsável.

 

IMPORTANTE: embora esteja permitida a divulgação dessas duas modalidades, é imprescindível que as fotos e depoimentos estejam acompanhados de autorização expressa dos pacientes.

 

Ou seja, o dentista não poderá divulgar fotos e “antes e depois” dos pacientes caso não tenha um termo de consentimento assinado pelo paciente ou pelo responsável legal. Faça o download de um modelo de termo de consentimento para dentistas no formulário abaixo:

 

Práticas de marketing odontológico nas redes sociais

Uma das estratégias utilizadas no marketing odontológico são os anúncios em redes sociais. Assim como o CFO, essas plataformas também criaram suas próprias políticas de publicidade para evitar abusos e propaganda enganosa.

 

No caso do Facebook e Instagram, os anunciantes podem promover serviços de saúde, desde que respeitem algumas normas. Acesse esse link para conferir todas as diretrizes da plataforma.

 

      • Os anúncios não podem conter discurso de ódio, discriminação, infração de terceiros, conteúdo falso, enganoso ou controverso, linguagem ofensiva, levar à páginas de destino que não funcionem, entre outros aspectos.
      • As imagens veiculadas nos anúncios não podem conter “antes e depois” ou sugerir resultados inesperados ou improváveis.

 

Por isso, uma prática comum para anunciar nas redes sociais é utilizar imagens que incluam corpo inteiro ou sem zoom (evitando mostrar apenas um sorriso, por exemplo). Apesar de a prática do “antes e depois” ter sido liberada pelo CFO, ela ainda não pode ser veiculada como anúncio no Facebook e Instagram.

 

Algumas observações importantes

Além de estar em consonância com a ética e as regras do Conselho Federal de Odontologia, o profissional dentista precisa entender que está lidando com uma pessoa em situação fragilizada.

 

Seja por questão estética ou de saúde, um paciente procura a sua clínica porque confiou no seu serviço e no que você disse sobre o seu serviço. Portanto, tome alguns cuidados para que esse paciente não fique com uma impressão negativa.

 

      • Sempre evite qualquer tipo de sensacionalismo ou mercantilização da sua prática. O paciente não pode, sob hipótese alguma, entender que a saúde e as necessidades dele são um produto para você.
      • Aja sempre com verdade, entregando as informações que ele precisa da maneira mais clara possível. Não divulgue notícias e pesquisas que não sejam comprovadas pela academia e atue com verdadeira preocupação.
      • Mantenha a privacidade dos pacientes que não desejam ser expostos. Existem pacientes que não querem ver sua imagem sendo usada para promover a sua prática, portanto não divulgue casos ou dê exemplos sem a autorização do paciente em questão.

 

Prestando atenção em todas as questões citadas nesse texto, temos certeza de que a divulgação da sua prática trará apenas sucesso. Entre em contato para conhecer o Dental Digital Marketing e conquistar mais pacientes com o marketing odontológico:

Jornada do Paciente: por que é importante entender esse caminho?

Marcel Karling da Rosa

Marcel Karling da Rosa é Diretor de Inovação na Inédita.

NENHUM COMENTÁRIO

ENVIE UM COMENTÁRIO